Noite

Perséfone, personagem da mitologia grega, é materializada numa criança que enfrenta mais um grande desafio: dormir sozinha no desconhecido da escuridão. Esta criança é naturalmente fascinada pelos contrários da vida: o dia e a noite, o Verão e o Inverno, a vida e a morte, a coragem e o medo, a solidão e a companhia. Nascem-lhe perguntas na boca como nascem a todas as crianças e sozinha procura as respostas. Miúdos e graúdos identificam-se com este ultrapassar de obstáculos e esta conquista de medos. É importante desmistificar a noite, mais importante ainda desmistificar o medo do desconhecido para que os horizontes se expandam e apenas o céu estrelado seja o limite. Com muita brincadeira, imaginação e boa disposição, bem como algum suspense convidamos o público a deixar-se levar pelo vento desta viagem atribulada.

Sinopse

Esta noite, Perséfone vai ter que dormir sozinha, ainda por cima num quarto que não é o dela, recheado de sombras estranhas e ruídos assustadores. Até o peluche que lhe faz companhia não é o seu. E surge na cabeça da pequena Perséfone a grande questão: “Para que serve a noite?”. Armada apenas com coragem e curiosidade, a menina heroína embarca numa viagem emocionante à descoberta dos segredos da noite.
“A noite serve… para caçar pensamentos. A noite serve… para ter saudades.
A noite serve… para contar segredos.”

Ficha Artística

Criação: Graeme Pulleyn e Sofia Moura
Encenação: Graeme Pulleyn
Interpretação: Sofia Moura
Assistente de encenação: Inês Amaral Mendes
Música Original: Dennis Xavier
Design de Luz: Vasco Ferreira
Produção: Comédias do Minho

Pedir dossier